domingo, 31 de janeiro de 2016

CAFEZINHO DE FIM DE DOMINGO

Vem cá.
“Passei” um cafezinho fresquinho, tem um pãozinho de queijo quentinho. Vamos prozear um pouco enquanto a gente saboreia os dois. É papo sobre esse “trem” de blog, do tal de Blogger.

Vocês sabem que, como qualquer humano da minha geração, eu não nasci com os neurônios próprios para cuidar dessas coisas de informática e por isso qualquer  coisinha a ser feita no blog ou na Fanpage demandam tempo, paciência, estudo, persistência, as vezes dor de cabeça.
Mas, vocês sabem também que  que sou teimosa ou, como diz meu amor “tenho um quê de obstinada”.
Pois é.

Comecei a perceber coisas estranhas aqui no mundo dos blogs: sumiram seguidores, quando tentava compartilhar o post no Facebook as fotos não apareciam...
Quem matou a charada foi a Helena Compagno (neste post).

E aí eu fui estudar a coisa.  Ou como dizemos aqui em Minas, "o trem".
É isso mesmo, quem não tiver uma conta no gmail não pode mais se inscrever como seguidor de um blog Blogger. Então, o jeito é se inscrever para receber as atualizações das postagens por email.
Chato demais!

E aí, gente, é que aconteceu o melhor: consegui, seguindo as dicas da Elaine Gaspareto configurar o Linkwithin nos dois blogs.

Uhuuuu!!!! Levei algumas horas, aqui, em frente ao computador, tive que montar outro blog para testes mas consegui. Estou radiante!  


Essa moça, a  Elaine Gaspareto é da nova geração e tem um moooonte de dicas bacanas sobre blogs. Umas mais difíceis, umas mais fáceis, outras a gente nem entende do que é que ela está falando mas, é uma ótima professora. Quem, como eu, tem suas dificuldades, vale a pena anotar o link.

Ainda não consegui descobrir a história do Facebook bloquear as fotos que ilustram as postagens... Alguém tem alguma dica?

Agora, se o Blogger continuar se "fazendo de besta" eu mudo de plataforma. 
Alguém sabe alguma coisa sobre estas mudanças?
Aceita mais um cafezinho? Mais um pãozinho de queijo? Está cedo ainda, fique mais um pouquinho...





sábado, 30 de janeiro de 2016

ENTÃO VAMOS BRINCAR!

A Chica voltou a promover a brincadeira! Então, vamos brincar!



Vou no plágio. Não... é mais certo e melhor dizer "na homenagem". Homenagem ao querido Chico Buarque e a Cassia Eller.

Minha frase:

Na barriga da miséria resiliência
 nasci brasileira mineira.

E, para quem gosta dela, matar a saudade: Cassia Eller.



Bom fim de semana!

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

BORDADO EM FOLHAS

Sou bem analfabeta em questões de arte.
Eu olho, gosto ou não gosto. A peça me dá uma sensação boa ou o inverso. Gostaria de ter a peça enfeitando minha casa ou não. 
Simples e orgânico assim. Nada acadêmico.

Bordado em folha de magnólia feito por Laura Hennighausen
Fonte: http://iseebichan.tumblr.com
Gosto de bordados. Gosto muito mesmo. Gosto de ver bordados. Gosto de pegar bordados. Gosto de fazer (ou tentar fazer) alguns bordados.
Acho incrível o que algumas pessoas fazem com uma agulha e linha.
Acho mais incrível ainda as bases que usam para fazer seus bordados. Materiais nos quais, eu e a maioria dos humanos, acharíamos impossível fazer um bordado. 
Aprendi que bordados em bases estranhas podem ser considerados arte.

Bordado em folha de magnólia feito por Laura Hennighausen
Fonte: http://iseebichan.tumblr.com
Já falei por aqui sobre bordados em ovos(aqui), em porcelana e papel(aqui) e em sacolas plásticas(aqui).

Bordado em folha de magnólia feito por Laura Hennighausen
Fonte: http://iseebichan.tumblr.com
Bordados em folhas (e exoesqueleto).

Bordado em folha de magnólia feito por Laura Hennighausen
Fonte: http://iseebichan.tumblr.com
Eu achei muito interessante e compartilho.

Se eu gostei, ou não, é outra história mas, a verdade é que ando olhando com um olho bem comprido para as folhas do ipê e conjecturando se elas se prestariam a uma experiencia destas...

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

BORDADO POPULAR

No balneário das Águas Santas (Tiradentes/MG) mora a Arlete. A Arlete tem uma lojinha que funciona nos fins de semana. Arlete fica lá, atendendo as pessoas e bordando.
Durante a semana a Arlete faz doces como os fazia a mãe dela , a D.Cecília. São chamados  doces da Vó Cecília.  Muito bons mesmo.
Normalmente levamos os amigos que nos visitam para comprar os doces caseiros - feitos no fogão a lenha, com frutas da época - da Arlete.
Na lojinha, a Arlete vende também as peças bordadas por ela e por outras bordadeiras da região.
Me encantei com este pano de prato.


A bainha em ponto paris e o risco tão simples e tão encantador.

Perguntei de onde tirou o risco e ela:
-“Uai, da minha cabeça. Fui fazendo pedaço por pedaço”.

Isto é autêntica arte popular. Lindo! 


Meu amigo me deu o pano de presente.  

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

DESCULPEM, MINHA COTA DE PACIÊNCIA, HOJE, SE ESGOTOU.

Fui ao correio reenviar um cartão que, em novembro/2015 havia seguido rumo a Portugal e não chegou.
Lá, tive que preencher um formulário quilométrico dizendo o que havia no pacote. “Cartão postal de tecido” – que tipo de tecido? Algodão. Qual o percentual do algodão no tecido? Inimaginável mas tive que responder isto!
Fiz tudo calmamente. Chovia, estava fresquinho, eu não tinha nenhum compromisso, não estava com sede, fome ou vontade de ir ao banheiro, a amiga portuguesa merece minha paciência, a vergonha pelo extravio do anterior pedia que eu tentasse  redimir meu país...
Boa viagem cartão!


Ao lado do correio há uma lojinha de tecidinhos.
Voltei com berinjelinhas, melanciazinhas, xicrinhas e bulezinhos para barradinhos dos panos de prato do Grupo de Costura. Também um tecidinho de textura interessante para meus cartões.
Tem coisa que acalma e anima mais a gente do que comprar tecidinhos?


E então me perguntaram pela lama...

A lama está aí na porta. A lama da Samarco está em Mariana.
A lama da impunidade, do abuso, da incompetência, está em todo lugar, em todas as instâncias.
O vizinho colocou cascalho no trecho da casa dele e os outros que se danem e chafurdem no resto da lama. 


Acho que preciso comprar mais tecidinhos! Muitos tecidinhos...
Desculpem, minha cota de paciência, hoje, se esgotou.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

SALVANDO PASSARINHOS

A semana passada foi a semana de salvar passarinhos.

Primeiro foi um beija flor bem jovenzinho – ainda tinha penuginhas brancas na barriguinha – que entrou em casa quase anoitecendo. Não conseguiu sair e dormiu por lá mesmo. De manhã cedinho procurei e não o encontrei mais. Julguei que tivesse saído por uma fresta da janela.
De repente, ele cai desmaiado atrás do fogão. Ainda bem que vimos.




Conseguimos reanima-lo mas, mesmo após voar, meio desorientado, voltou e se agarrou na minha roupa. Fiquei com ele mais um pouco na mão e depois consegui coloca-lo pousadinho no pé dos brincos de princesa para que pudesse se alimentar.
Logo depois ele voou feliz e recuperado.

No dia seguinte um sanhaço, voando, bate no vidro da janela da oficina e cai desmaiado.




Este também foi reanimado e voou feliz.

Antes da semana terminar estou eu, noite já, fazendo um lanchinho na cozinha, e vem um filhote de pardal, que não sei de onde saiu, voando desorientado.
Este foi fácil pegar, envolver num paninho macio formando algo parecido com um ninho, colocar numa caixinha e deixar na varanda, longe do alcance de olhos predadores.
Pela manhã  também já havia ganhado o mundo.


Missões cumpridas.

domingo, 17 de janeiro de 2016

CANETINHAS DE TINTA SOLÚVEL EM ÁGUA PARA RISCAR BORDADOS

Boas dicas reeditadas.


Ontem, minha tarefa do Grupo de Costura foi riscar alguns panos para as bordadeiras do bordado livre.
Para isto uso sempre minha caixa de luz e as canetinhas da Faber Castell.



Todos os riscos são feitos com elas. São verdadeiramente fantásticas para este serviço.

O risco fica nítido, não apaga com o manuseio nem com o tempo e, depois de bordados os panos, basta uma rápida e simples lavadinha em água pura que sai totalmente.


As canetinhas ainda  têm a vantagem de serem produto nacional, serem vendidas em qualquer papelaria e o preço ser bem, mas bem mesmo, acessível. 

O único cuidado é sempre pegar o bordado com as mãos secas senão borra o risco.

No blog jeito Mineiro de Ser falei destas canetinhas. Se quiser conferir é só clicar AQUI.

Ah, não virei velhota propaganda da Faber Castell não, viu? Não ganho nada deles para falar bem do produto (nem mesmo um estojinho de canetinhas para o Grupo de Costura).
Dou a dica porque uso, gosto e acho o produto deve ser divulgado.


sábado, 16 de janeiro de 2016

DESABAFO

O post de hoje é uma tentativa de desabafo. Uma tentativa de tirar este sapo que está na minha garganta e está muito difícil de engolir. Uma tentativa de me sentir melhor. Uma tentativa de me sentir menos impotente, menos diminuída nos meus direitos como cidadã. Uma tentativa...

Há 9 anos nos mudamos para esta casa. Exatamente há este tempo temos o cuidado de manter a nossa rua sem buracos, capinada, sem lama.
Inicialmente colocamos um caminhão de brita em frente nossa casa e desde então, sempre tapamos os buracos que aparecem colocando cascalho, sobrinhas de entulho de obra, etc... E a rua, que é sem calçamento, andava bonitinha, praticamente sem lama ou poeira.

Aí, nosso vizinho, resolve cavar um poço artesiano. Tudo bem.
Um gerador roncou em nossos ouvidos, que optaram pelo silencio da natureza e a ele estão acostumados, durante uma semana cerca de 10 horas por dia. Tudo bem.
Acontece que o sr.vizinho e a empresa (AguaSul) que fazia o serviço simplesmente começaram a jogar a lama extraída do tal poço na rua.
Simples assim, lama correndo pela rua afora.
Conversamos, reclamamos, pedimos e a lama continuou emporcalhando toda a  rua.


Liguei para a prefeitura. Pedi providências, ninguém veio.
Fotografei, coloquei no Facebook, pedi através de mensagens a todos os amigos que compartilhassem. Era necessário que todos da cidade vissem o que estava acontecendo.
Alguns amigos atenderam ao apelo. Muito bom! Obrigada!
Outros se excluíram como meus “amigos” de Facebook. Tudo bem é um direito de todos e eu respeito profundamente.


Numa das emissoras de rádio da cidade, falei da tal obra num programa de denuncias, liguei novamente para várias secretárias da Prefeitura.

Ontem o pessoal do Meio Ambiente da Prefeitura apareceu, conversou com o filho do proprietário do terreno.
Ontem também encontraram água e a obra acabou.
A empresa (AguaSul) lavou a rua. É isto mesmo que você leu LAVOU, com água, a lama que cobria uma rua de terra.  Empurrou parte da lama para uma rua perpendicular à nossa.


A nossa rua continua enlameada, nojenta.

O vizinho?
Bem, ele tem um novo poço artesiano.
Ele é pessoa influente, pertence a uma das instancias destinadas a proteger a população dos abusos em geral.
Então, não temos onde reclamar mais. Não temos como nos defender dos abusos dos que detém o poder em suas mãos e canetas...

Daí que vamos começar de novo o trabalho de “pavimentar” nossa rua.


Daí que o sapo está atravessado na garganta.


sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

OBJETOS DE DECORAÇÃO

E eles se transformaram em objetos de decoração.

Lá em Portugal:




Por aqui mesmo:


Você é capaz de imaginar como eu fico feliz vendo isto acontecer?


quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

E A OPÇÃO ESCOLHIDA FOI...

E esta foi a opção escolhida para começar o ano de trabalho. Lembra da dúvida? AQUI

Panos de prato do Grupo de Costura.




Temos aproximadamente 600 panos já cortados.
Alguns já distribuídos entre companheiras e ganhando bainhas.

Aqui, agora, cerca de 70 barrinhas bordadas em ponto cruz que, já molhadas para pré encolhimento, estão esperando para serem pregadas. Esta é a próxima missão.
Quando eu começar este trabalho vou aproveitar e falar da "agulha asa" que, sem dúvida, será  peça fundamental para esta etapa.

E vamos nós!




segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

SABIÁ BRIGÃO DECLARA GUERRA

O sabiá brigão (e cagão) está de volta. Aliás, não sei se é o mesmo uma vez que o “território” mudou e já acompanhamos as aulas de vôo de, pelo menos dois sabiazinhos que nasceram,  aqui, no nosso quintal.

As janelas atacadas, agora, são as da sala de visitas.



Desta vez está sendo mais simples evitar os ataques. Basta deixar as janelas abertas.




Quer saber mais sobre esta saga? Aqui, aqui, aqui e aqui


domingo, 10 de janeiro de 2016

TEM FARINHA NO VENTO

CONVITE

Convido você para conhecer um novo blog “FARINHA NO VENTO”.
A idéia é publicar fotos, de minha autoria ou de terceiros, consideradas (leigamente) bonitas.
Fotos com 0% ou praticamente nenhuma edição.
Fotos que, lançadas ao vento virtual, como grãos de farinha, irão onde este vento as levar.
Uma publicação diária mas, como somos Farinha no Vento então, isto não é rígido.

Convite feito (espero que seja aceito).

Clique AQUI que você chega lá rapidinho.



sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

REPELENTE NATURAL PARA INSETOS

Uso há muitos anos.
Funciona!
O custo é pequeno.



A minha receitinha é bem simples: 1 litro de álcool de cereais e um punhadão de cravos da índia.
Coloco os cravos dentro do vidro de álcool, deixo no fundo de um armário, protegido do sol, no escurinho.
Em 15 dias já se pode usar, mas, quanto mais velho melhor, o cheirinho do cravo fica mais ativo.

Já vi receitas onde se acrescenta óleo de amêndoas. Eu não o faço, pois, não gosto de óleos em contato com a pele.



A durabilidade do efeito na pele é bem menor que a dos repelentes industrializados uma vez que não contém nenhum fixador. Desta forma há necessidade de se repetir a aplicação de tempos em tempos.

Temos usado para manter afastados não só os famigerados transmissores da dengue, chikungunya e zika como também os mosquitinhos das frutas e da grama. Temos muita vegetação em casa e somos vizinhos de um sítio onde existem muitas árvores frutíferas. Atualmente é a temporada das mangas. Imagine só: mangas maduras caídas no chão, chuva e sol. É uma festa para os insetos.
Borrifo este repelente na pele, na roupa e até no Fubá (o cão) para manter os insetos longe.


Já estou perfumada a cravo. Começo a me sentir uma Gabriela* . Para isto só falta a canela, a morenez, o corpão, o cabelão, a juventude, a baianês,  a brejeirice... pouco, não é?

*Gabriela Cravo e Canela personagem do Jorge Amado.




quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

PHYSALIS


Um dia, no início dos tempos, Deus, o artesão por excelência, resolveu criar as frutas.
Pegou um monte de tipos de sementes, um tantão de cascas diferentes, várias variedades de polpas, folhas de vários formatos e cores, cola, tesoura, linha enfim, fez o que todo artesão faz, separou o material que julgou necessário para o trabalho do dia.
E Deus foi combinando cascas com polpas com sementes com folhas e foram saindo as frutas. Veio a uva, a maçã, a pera, o coco, a laranja, a cereja etc...etc...
No final do dia, sobre a bancada de trabalho sobraram umas folhinhas fininhas, meio sequinhas, uma polpinha amarela, umas sementinhas pequenininhas que não combinavam.
Mas era o ultimo material disponível e Ele ariscou, juntou e nasceu a Physalis.


Olhou para a Terra e jogou uma mão cheia delas na região tropical.
Hoje a Physalis aparece, no fim do ano, nos supermercados e hortifrutis a um preço astronômico. Nós, espertinhas donas de casa, que sabemos o valor do nosso dinheirinho, esperamos as festas passarem e ela entrar em promoção. Delicia!



Por que estou falando abobrinhas sobre physalis? Ué, porque elas são extremamente fotogênicas. Adorei estas fotos.


terça-feira, 5 de janeiro de 2016

VIOLA CAIPIRA

Foto do perfil de Max Sales no Facebook
Max Sales tocando viola caipira. Vale a pena ouvir.
Ouça olhando o vídeo pois, além do moço ser um gato, o movimento das mãos dele é muito bonito.
Ouça novamente, de olhos fechados, pois o som é muito gostoso.
E ouça novamente simplesmente porque vale a pena ouvir.


Para as amigas de fora do Brasil, a viola caipira é um dos instrumentos simbolo brasileiro e teve sua origem nas violas portuguesas trazidas pelos primeiros colonizadores. Ela é muito popular no interior do Brasil.


Quer saber mais sobre este instrumento? Aqui.


segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

ESCOLHAS

O momento das escolhas.
Iniciar o ano com qual deles?
São três amores/paixões que estão no meu coração.
Os três me olham e pedem atenção.


Gostaria de possuir três pares de braços assim, me entregaria prazerosamente aos três.

Em qual deles você aposta?

sábado, 2 de janeiro de 2016

A NOSSA VIDA É O QUE DELA FAZEMOS

Hora de conhecer o mundo. Momento difícil.
Um cochilinho pra criar coragem (ou fazer de conta que ainda não saiu do ninho?).

Sanhaço nascido em ninho construído no beiral do telhado da nossa garagem.
Incentivo.


Enfim abrir os olhos, observar o entorno disfarçadamente.


Um vôo maior. Coragem crescendo dentro do pequeno coração.


Mais incentivo.


Acreditando que vale a pena.



Com o primeiro “grande” vôo... alcança o outro lado do quintal.
O mundo agora é dele.



Conquistemos 2016 ( e a nossa vida) pouquinho a pouquinho, dia a dia.
Sempre em frente. Sempre com coragem e determinação.

2016 e a nossa vida serão o que deles fizermos!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...